Como meditar através do ato de cozinhar. Será possível?

Será possível meditar através do ato de cozinhar? Nunca gostei muito de cozinhar, sempre me pareceu uma perda de tempo. Por que gastar tempo cozinhando algo (prepara a panela, corta os legumes, prepara os temperos, corta cebola, alho...) se algo congelado ou pré-pronto mataria a fome (pelo menos em termos calóricos) do mesmo jeito e seria muito mais rápido (apenas uns 8 minutinhos no microondas)? Mas cozinhar não é só isso.

Cozinhar algo caprichado para você e/ou mais pessoas comerem é também um momento peculiar: em um mundo onde tudo é rápido e nada precisa de grande dedicação para funcionar, você está dedicando seu tempo e sua criatividade para preparar um prato especial, que você e/ou mais pessoas vão degustar. Você está se esforçando para preparar algo seu,  com seu toque único, algo que, além de tudo, vai matar a fome dos que irão saborear. É demorado. Precisa separar tempo para fazer (e tempo, hoje, é um dos presentes mais nobres que existem para dar a alguém). Precisa fazer tarefas repetitivas e entediantes (para alguns) como cortar cebolas, frutas, legumes, pré aquecer o forno, a água, deixar em banho maria, mexer para não grudar no fundo da panela, mexer, mexer, jogar óleo, por manteiga para não grudar, temperar moderadamente para dar um gosto, prestar atenção para não esquecer nada, para não queimar.

Se você, como eu, é uma pessoa "digital" e atarefada, essas tarefas podem, à primeira vista, parecer chatas ou desnecessárias. Podem não combinar com o dia-a-dia de uma mulher "moderna", podem parecer inúteis. Mas essa é uma primeira vista superficial e excessivamente materialista, que não está percebendo o contexto por trás. Se dedicar em presença, com vontade e com a "alma" para preparar algo simples e essencial como uma comida é um processo que te ajuda a participar mais de si mesmo, da sua vida, da vida daqueles que estão ao seu redor. Cozinhar te faz participar muito mais intensamente do simples ato de comer. Além de comer (que normalmente dura pouco tempo), você também se dedicou mais 30 minutos ou 1 hora para preparar, com presença e consciência, essa comida que você comeu. Você se dedicou a esse momento final que é comer. Você se entregou ao processo, você esteve presente. Hoje em dia há pessoas que praticamente não estão presentes em suas próprias vidas, elas só querem passar de um momento a outro, repetidamente, até que determinado objetivo futuro chegue. E assim só existe futuro, metas, ideias, não existe o presente, você, hoje, agora.

Cozinhar é um pequeno tempo para refletir, para deixar os pensamentos passarem calma e divertidamente pela mente. Pode ser que haja mais pensamentos hoje, pode ser que seja só relaxar, sentir, cheirar, experimentar. É pensar na própria vida, no dia-a-dia, na pura beleza de poder comer calmamente na sua casa, sozinho ou com companhia. É pensar na família, nos amigos, no namorado, no marido. É lembrar das coisas boas que vêm acontecendo. É perceber como tudo aquilo que é cotidiano, caseiro, simples e corriqueiro, pode ser bonito, pode ser intenso, e você pode se entregar um pouco mais a esse momento. É pensar que se está fazendo uma comida gostosa, que vai também carregar seu carinho de forma "energética" àqueles que irão comer a comida.

Cozinhar para mim é um momento para me conectar com o meu dia-a-dia, com as coisas simples da vida.

E vocês, o que acham? Gostam de cozinhar?!

***

Se você quer ficar sabendo quando os próximos vídeos forem lançados, inscreva-se no meu canal do YouTube. Se você quer receber os próximos posts deste blog por email, inscreva-se aqui.

Na coluna da direta deste blog você encontrará os posts mais populares, assim como o arquivo com todos os posts publicados. Se você sentiu falta de algum tema, escreva-me

Até a próxima!

Luiza S. Rezende
Advogada empresarial especializada em startups
Cozinhar, momento meditativo
Curry vegetariano que preparei (legumes e tofu) com arroz. Foto do meu Instagram